Você confia no gerente do seu banco?

Antes da invenção do Uber, você teria coragem de entrar em um táxi, falar o seu destino final, fechar os olhos para dormir e só acordar no destino? Final de noitada não conta. Se a sua resposta foi “não”, por que então você faz exatamente isso quando se trata do seu dinheiro?

Já ouvi algumas pessoas dizendo “não preciso me preocupar com meus investimentos, confio no gerente do meu banco”. Será mesmo? Já ouviu falar em conflito de interesse? Sabia que o gerente tem metas para vender produtos mais vantajosos para o banco do que para você? Você já parou para olhar as taxas que estão sendo cobradas? Alguma vez já teve coragem de comparar os rendimentos com outras opções disponíveis nas corretoras, por exemplo?

Eu decidi escrever esse post depois que presenciei um amigo recebendo uma ligação do gerente de seu banco para oferecer um título de capitalização “Master Plus XYZ Etcetera e Tal”. O nome do título soava tão bonito saindo da boca do gerente que meu amigo chegou a agradecer pela consideração. Acontece que quando ele me contou o valor da taxa de rendimento eu imaginei o gerente igual ao Agostinho Carrara da Carrara Taxis ou Taxis Carrara (ele ainda não deve ter decidido).

O título em questão exigia que a pessoa fizesse um investimento inicial, depois fizesse depósitos mensais por 4 anos. Ao final o “investidor” receberia todo o dinheiro de volta corrigido pela TR e mais 10% do valor total investido. Parece tentador, não é? Acontece que essa TR é uma taxa referencial que nos últimos 10 anos não passou de 2%. E mais, isso foi em meados de 2017, quando a Selic estava entre 11% e 12% ao ano! Ou seja, se o meu amigo colocasse o mesmo dinheiro no Tesouro Direto (Tesouro Selic) ou em um CDB disponível em qualquer corretora, ele provavelmente teria uma rentabilidade POR ANO maior que a rentabilidade durante todo o período de 3 anos oferecidos pelo gerente! Pior ainda, e se ele não conseguisse depositar alguma parcela mensal? E se ele precisasse do dinheiro antes do final do período?

Além de oferecer investimentos desfavoráveis em relação a outras opções disponíveis no mercado, o gerente nem se dá ao trabalho de conversar com você sobre seus objetivos financeiros de curto, médio e longo prazo. Geralmente eles nem querem saber qual é o seu perfil de investidor e a sua tolerância a risco. Não perguntam nem se você tem uma reserva de emergência ou se vai precisar daquele dinheiro daqui a pouco. Nunca devemos fazer investimentos sem saber nossos objetivos e qual a função daquele investimento em relação ao resto da sua carteira.

Mesmo para os que confiam em seus gerentes, o simples fato de adquirir novos conhecimentos vai te ajudar a entender melhor o que está sendo proposto, comunicar melhor quais são seus objetivos, definir melhor seu perfil de risco e etc. No próximo post vou listar quais perguntas devemos fazer ao gerente do banco antes de nos enfeitiçarmos por aqueles títulos de nomes encantadores. Nos vemos na semana que vem, chefia!

 

3 respostas em “Você confia no gerente do seu banco?

  1. Pingback: 10 perguntas para o gerente do seu banco | A Tal Independência Financeira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s